Ações internacionais 20 de Junho de 2008

Serce avalia desempenho de estudantes de 3ª a 6ª séries de 16 países

  • Pesquisa do Laboratório Latino-Americano de Avaliação da Qualidade da Educação em 16 países mais o Estado mexicano de Nuevo León, também mostra a influência que a distribuição de renda tem na aprendizagem dos alunos.
  • Ao todo, foram avaliados aproximadamente 200 mil estudantes, distribuídos em 8.500 aulas de 3.000 escolas.

A geração de um ambiente de respeito, aconchegante e positivo é uma das chaves para promover a aprendizagem entre os estudantes, de acordo com o Segundo Estudo Regional Comparativo e Explicativo (SERCE), cujos resultados foram apresentados no dia 20 de junho em Santiago, Chile, e de maneira simultânea nos restantes 15 países da América Latina*, mais o Estado mexicano de Nuevo León, que participaram na pesquisa.

O impacto do clima escolar no desempenho dos alunos forma parte das conclusões deste estudo, um dos mais importantes e ambiciosos implementados na América Latina e o Caribe para avaliar o desempenho dos estudantes. Foi realizado pelo Laboratório Latino-Americano de Avaliação da Qualidade da Educação (LLECE), contando com o apoio do Escritório Regional da Educação da UNESCO para América Latina e o Caribe.

A apresentação foi responsabilidade de Rosa Blanco (a.i.) do Escritório Regional da Educação da UNESCO para América Latina e o Caribe; e de Héctor Valdés, Coordenador Geral do Estudo e do Laboratório Latino-Americano de Avaliação da Qualidade da Educação.

O universo considerado foram os estudantes de 3ª e 6ª séries de Educação Primária, que fizeram provas especialmente desenhadas em matemática, linguagem (leitura e escrita) e ciências. Além dos resultados nessas disciplinas, o SERCE também contém informação sobre os estudantes e suas famílias, docentes, diretores e das escolas, para identificar e compreender quais os fatores de maior incidência nos desempenhos estudantis.

A influência das condições no seio da escola no desempenho dos estudantes demonstra, segundo o estudo, a importante contribuição que exercem os estabelecimentos, sendo os mesmos inclusive de maior importância que os fatores de contexto sócio-econômico, favorecendo significativamente a diminuição das desigualdades de aprendizagem associadas às disparidades sociais. Entretanto, a segregação escolar por condições sócio-econômicas e culturais dos estudantes, tem uma relação negativa com o desempenho é a segunda variável de maior relevância para explicá-lo. Assim sendo, a equidade na distribuição das aprendizagens nas diferentes camadas da população é uma tarefa que ainda está por ser cumprida, conforme o relatório.

Equidade: tarefa ainda pendente

Analisando os principais resultados deste estudo, observa-se que a equidade na distribuição das aprendizagens nas diferentes camadas da população é uma tarefa ainda pendente porque existem importantes disparidades na qualidade das aprendizagens entre os países e no seio dos mesmos.

Uma das causas desta desigualdade, conforme indica o levantamento, reside nas condições econômicas, especificamente na produção e na distribuição da renda. Isso poderia explicar por que os países com maiores rendas, como o Chile, Argentina e Uruguai, apresentam, em geral, melhores resultados.

No nível nacional, igualmente, verificou-se que a localização das escolas condiciona os resultados alcançados, dado que as crianças que assistem a escolas rurais na América Latina e no Caribe obtêm desempenhos mais baixos que aquelas que assistem a escolas inseridas no âmbito urbano.

Além disso, o estudo pesquisou os principais fatores associados às consecuções cognitivas dos estudantes, achando que a qualidade das escolas da América Latina e o Caribe explica entre 40% e 49% dos resultados de aprendizagem dos estudantes. Confirma-se assim que o clima escolar, junto com o nível sócio-econômico e cultural médio da escola, são as principais variáveis quanto a importância associadas ao desempenho, enquanto que o resto da variança nas consecuções cognitivas diz respeito às diferenças sócio-econômicas e culturais dos mesmos estudantes e suas famílias.

O Segundo Estudo Regional Comparativo e Explicativo foi realizado entre 2004 e 2008, com a participação de 100.752 estudantes de 3ª série e 95.288 de 6ª série de 16 países mais o Estado mexicano de Nuevo León, avaliados em Matemática, Leitura e Escrita e Ciências da Natureza. Confira a divulgação completa do estudo na nova página de Ações Internacionais do Inep.

Em seu desenho, implementação e análise participaram diversas equipes de avaliadores, pedagogos, especialistas em currículo, peritos em construção de instrumentos, técnicos e monitores da região, tornando-se um interessante espaço de colaboração, aprendizagem e fortalecimento de capacidades técnicas para as equipes dos sistemas nacionais de avaliação envolvidos no SERCE.

Sua orientação conceptual está baseada em provas referidas ao currículo comum da região, estruturadas a partir do enfoque "habilidades para a vida", promovido pela UNESCO, e que considera aqueles conhecimentos, capacidades, habilidades, valores e atitudes que os estudantes latino-americanos deveriam aprender e desenvolver para atuar e participar plenamente e ativamente na sociedade, tanto como indivíduos quanto cidadãos.

Além da avaliação das aprendizagens, o SERCE utilizou questionários para a coleta de informações sobre os estudantes e suas famílias, os docentes e as escolas, que permitam discernir quais os fatores que têm maior incidência na aprendizagem dos alunos.

O Primeiro Relatório do SERCE, seu Resumo executivo e um vídeo explicativo sobre suas características e resultados estão disponíveis em: www.unesco.cl/esp/serce

*Países participantes: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai.

Assessoria de Imprensa do Inep