Histórico

Projeto Piloto 2010

Em 2010, em um trabalho compartilhado com o Ministério da Saúde – SGTES e o Ministério da Educação – SESU, o Inep participou do projeto piloto de Revalidação de Diplomas de Médico Obtidos no Exterior. Na ocasião, coube ao Inep a execução e aplicação do exame, com a finalidade de subsidiar os procedimentos de revalidação conduzidos pelas universidades públicas que aderiram ao Projeto Piloto (Portaria Interministerial MEC/MS nº 865/2009, art. 2º, parágrafo único).

O exame se baseou na Matriz Referencial de Correspondência Curricular elaborada pela Subcomissão Temática de Revalidação de Diplomas (Portaria Interministerial MEC/MS nº 383, de 19 de fevereiro de 2009).

Participaram do exame os candidatos inscritos que comprovaram a conclusão da graduação em Medicina, em curso devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação ou órgão correspondente no país de conclusão, com carga horária mínima de 7.200 horas – período de integralização de 6 anos e 35% de carga horária em regime de treinamento em serviço/internato, de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina (resolução CNE/CES nº 04/2001).

A avaliação se deu em duas etapas: uma parte escrita e uma outra de avaliação de habilidades clínicas. O objetivo era verificar a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências requeridas para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (Portaria Interministerial MEC/MS nº 865/2009, art. 2º,e no item 6 da Matriz Referencial).

A avaliação escrita aplicada no dia 24 de outubro de 2010 foi composta por duas etapas: uma objetiva, composta de 110 questões de múltipla escolha, e uma prova discursiva, com 5 questões discursivas. A avaliação de habilidades clínicas foi aplicada no dia 4 de dezembro de 2010 somente aos aprovados na avaliação escrita.

A iniciativa do projeto não excluiu o procedimento ordinário de revalidação de diplomas realizado pelas universidades públicas, mas iniciou outro processo com perspectivas mais isonômicas de acesso e de critérios de análise. Isso de seu devido à avaliação de habilidades e competências recomendadas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Graduação em Medicina (DCNM) Resolução CNE/CES nº 4 de 2001, Art. 3º, § 1º.

Desta forma, a execução do Projeto Piloto de Revalidação de Diplomas de Médico Obtidos no Exterior mostrou que a proposta é um avanço em termos de avaliação. Além disso, em termos de política pública, o Revalida ainda pode atender à demanda reprimida de revalidação de diplomas de curso médico obtidos no exterior e de estrangeiros que aqui pretendem exercer a profissão de médico.

O Projeto Piloto para revalidação de diplomas médicos obtidos no exterior gerou importantes informações para subsidiar a institucionalização do Exame ocorrida no ano seguinte. A partir disso, o Revalida 2011 consolidou a metodologia aplicada na elaboração e na aplicação da prova.

Você também pode ter acesso ao número de inscritos e aprovados na avaliação de 2010.

Aplicação 2014

O Ministério da Educação em parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), conforme disposto na Portaria Interministerial nº 278/2011, realizou em 2014, o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras – Revalida.

Em 2014 foram 41 instituições de educação superior que aderiram ao exame e tiveram a homologação pela SESu, em todas as regiões do país, credenciadas a validar os diplomas dos aprovados no Revalida. Cada uma destas instituições, abaixo relacionadas e conforme a solicitação do participante, receberam os resultados do Revalida para uso no processo de revalidação dos diplomas médicos:

  • Fundação Universidade Federal Da Grande Dourados – UFGD
  • Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR
  • Fundação Universidade Federal do Tocantins – UFT
  • Fundação Universidade Regional de Blumenau – FURB
  • Universidade de Brasília – UnB Universidade de Taubaté – Unitau
  • Universidade do Estado do Amazonas – UEA
  • Universidade Estadual de Ciências Da Saúde de Alagoas – Uncisal
  • Universidade Estadual de Londrina – Uel
  • Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes
  • Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC
  • Universidade Estadual do Ceará – UECE
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – Unesp>/li>
  • Universidade Federal Da Bahia – UFBA
  • Universidade Federal Da Paraíba – UFPB
  • Universidade Federal de Alagoas – UFAL
  • Universidade Federal de Campina Grande – UFCG
  • Universidade Federal de Goiás – UFG
  • Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS
  • Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP
  • Universidade Federal de Pernambuco – UFPE
  • Universidade Federal de Roraima – UFRR
  • Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
  • Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
  • Universidade Federal de Sergipe – UFS
  • Universidade Federal de Uberl Ndia – UFU
  • Universidade Federal do Acre – UFAC
  • Universidade Federal do Amazonas – UFAM
  • Universidade Federal do Ceará – UFC
  • Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UniRio
  • Universidade Federal do Maranhão – UFMA
  • Universidade Federal do Paraná – UFPR
  • Universidade Federal do Piauí – UFPI
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ
  • Universidade Federal do Rio Grande – FURG
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS
  • Universidade Federal do Tri Ngulo Mineiro – UFTM
  • Universidade Federal Fluminense – UFF
Página atualizada em: 20 outubro 2015