Voltar

INTERPRETAÇÃO E COMPARABILIDADE DO DESEMPENHO MÉDIO DO BRASIL NO PISA 2000 A 2015

INTERPRETAÇÃO E COMPARABILIDADE DO DESEMPENHO MÉDIO DO BRASIL NO PISA 2000 A 2015 (Versão 1.5)

Miniatura Uploads feitos por Lilian DOS SANTOS LOPES, 03/12/18 17:21
Este artigo aborda dois temas metodológicos de suma importância para o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa): a interpretação e a comparabilidade do desempenho médio dos países e das economias participantes dessa avaliação em larga escala. Quanto à interpretação, mostramos, com base em sugestão da O rganização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que a média X no Pisa pode ser interpretada pedagogicamente em níveis de proficiência entre os pontos X -σ e X +σ nas respectivas escalas de leitura, matemática e ciências (σ é o desvio-padrão calculado empiricamente para cada valor médio X ). Tal interpretação estabelece um critério pedagógico de comparabilidade do desempenho médio X ±σ em um determinado ano, bem como ao longo do tempo. Com base nessa interpretação pedagógica, em faixas de níveis de proficiência, analisamos o desempenho médio dos estudantes brasileiros mediante desagregações por ano escolar, sexo, unidades federativas, tipo de escola (pública ou particular) e por dependência administrativa (particular, federal, estadual ou municipal). Por fim, criticamos e sugerimos uma alternativa à Estratégia 7.11 do Plano Nacional de Educação (PNE).
Publicação: Séries Séries » Textos para Discussão Publicações em destaque
1 de 56

Versão 1.5

Última atualização por Lilian DOS SANTOS LOPES
03/12/18 18:07
Estado: Aprovado
Este artigo aborda dois temas metodológicos de suma importância para o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa): a interpretação e a comparabilidade do desempenho médio dos países e das economias participantes dessa avaliação em larga escala. Quanto à interpretação, mostramos, com base em sugestão da O rganização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que a média X no Pisa pode ser interpretada pedagogicamente em níveis de proficiência entre os pontos X -σ e X +σ nas respectivas escalas de leitura, matemática e ciências (σ é o desvio-padrão calculado empiricamente para cada valor médio X ). Tal interpretação estabelece um critério pedagógico de comparabilidade do desempenho médio X ±σ em um determinado ano, bem como ao longo do tempo. Com base nessa interpretação pedagógica, em faixas de níveis de proficiência, analisamos o desempenho médio dos estudantes brasileiros mediante desagregações por ano escolar, sexo, unidades federativas, tipo de escola (pública ou particular) e por dependência administrativa (particular, federal, estadual ou municipal). Por fim, criticamos e sugerimos uma alternativa à Estratégia 7.11 do Plano Nacional de Educação (PNE).
Baixar (2,3MB) Get
Histórico da versão
Versão Data Tamanho  
1.7 1 Ano atrás 2,3MB
1.6 1 Ano atrás 2,3MB
1.5 1 Ano atrás 2,3MB
1.4 1 Ano atrás 1,7MB
1.3 1 Ano atrás 1,7MB
1.2 1 Ano atrás 4,6MB
1.1 1 Ano atrás 1,7MB
1.0 1 Ano atrás 1,7MB

Publicações mais Recentes

Manual para Classificação dos Cursos de Graduação e Sequenciais - Cine Brasil ›

O Manual para Classificação dos Cursos de Graduação e Sequenciais apresenta a estrutura da Classificação Internacional Normalizada da Educação adaptada para os cursos de graduação e sequenciais do Brasil (Cine Brasil) ...

Fundamentação das matrizes de avaliação da educação básica - estudos e propostas ›

A necessidade de revisão e atualização das fundamentações teórico-metodológicas dos testes que compõem as avaliações da educação básica – desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) – e de suas respectivas matrizes de referência é uma demanda histórica apontada por servidores desse Instituto, lotados na Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb).

ATOS NORMATIVOS DO INEP ›

Em cumprimento ao art. 12 do Decreto nº 10.139, de 28 de novembro de 2019.